Slide site cultural de Feijó

LUMINAR - TUDO PARA SUA CONSTRUÇÃO

Neto Meireles - Formatação & Crimpagem

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Avião bimotor cai no interior do Acre

aviao
Mario Jorge, proprietário do bimotor, acredita que houve pane no motor (Foto: Arquivo pessoal)
O avião bimotor particular comandado pelo piloto identificado por Maicon dos Santos decolava de Manuel Urbano para Santa Rosa, mas caiu antes de ganhar altura na cabeceira da pista na tarde desta quarta-feira, 10. As informações são do repórter Aldejane Pinto, de Sena Madureira
O piloto, que seria filho do proprietário da aeronave, sofreu ferimento na cabeça. Ela não corre risco da morrer. No avião também estava uma mulher. Ela recebeu os primeiros socorros. Uma ambulância do Samu se dirigiu à cidade para prestar socorro às vítimas, que devem ser trazidas para o Pronto Socorro de Rio Branco. Uma pane no avião teria causado a queda. Mas as causas reais do acidente serão investigadas.
A Rádio Boas Novas FM de Manuel Urbano chegou a informar que uma criança estaria entre as vítimas, mas a informação ainda não foi confirmada.
http://www.ac24horas.com/2016/02/10/aviao-bimotor-cai-no-interior-do-acre/?doing_wp_cron=1455149956.5809741020202636718750

CONVITE MISSA SÉTIMO DIA

Missa de sétimo de falecimento da senhora Maria Ferreira de Souza, hoje ás 19h:00, na igreja matriz Nossa Senhora do Perpetuo Socorro, centro, Feijó

Proposta do governo do Acre aos professores “é vergonhosa” e greve está a caminho, diz Sinteac

“A proposta é vergonhosa por não reconhecer a luta dos servidores administrativos, que estão há sete anos sobrevivendo com um piso de R$ 672,00”, disse Rosana

“A proposta do governo é vergonhosa”, Rosana Nascimento
“A proposta do governo é vergonhosa”, Rosana Nascimento
O Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sinteac) entende que a proposta encaminhada pelo governo do Acre neste feriadão de Carnaval não deve evitar uma possível greve geral. A categoria está convocada para conhecer os percentuais de reajuste propostos pela equipe econômica do governador Tião Viana (PT), em assembleia geral extraordinária confirmada para às 16 horas desta sexta-feira (12), no Hall da Assembléia Legislativa, Centro de Rio Branco.
Se a proposta for rejeitada, o ano letivo não será iniciado na segunda-feira (15), segundo previsões da SEE.
A Secretaria de Educação sugere um reajuste de 11,48% divididos em três parcelas iguais, sendo a primeira em janeiro de 2017, a segunda em agosto de 2017 e a última em março de 2018. Professores e funcionários de escola pediam um aumento real de 25%.
A professora Rosana Nascimento, presidente do Sinteac, adiantou que “a proposta é vergonhosa por não reconhecer a luta dos servidores administrativos, que estão há sete anos sobrevivendo com um piso de R$ 672,00, portanto, abaixo do salário mínimo”.
Os núcleos do Sinteac no interior farão assembleias paralelas, também na sexta, no mesmo horário. O sindicato orienta que se façam listas de presença e elaborem atas com as deliberações.
O comando de greve dará uma versão oficial sobre o assunto nesta quinta-feira (11), às vésperas da assembleia dos trabalhadores.
“Esperamos avançar nessas 24 horas. Seja qual for a postura do governo, levaremos para a avaliação dos trabalhadores. Se for deliberada a greve na Educação, que assim seja. os trabalhadores flexibilizaram o máximo que podiam”, afirmou Rosana Nascimento.
Com informações da assessoria do Sinteac
http://www.oaltoacre.com/proposta-do-governo-do-acre-aos-professores-e-vergonhosa-e-greve-esta-a-caminho-diz-sinteac/

Fim da pensão a ex-governadores Acre economizaria mais de R$ 400 mil reais

Entre os temas polêmicos que voltam a mesa de debates no regresso dos deputados da Aleac, na próxima semana, consta o fim da pensão vitalícia para ex-governadores e viúvas, que consomem mais de R$ 400 mil por mês dos cofres públicos. No Acre são 15 que recebem sob a rubrica aposentados/pensionista o valor de R$30.471,11, sem desconto previdenciário, obrigatório a outros servidores do Estado.
A Constituição do Estado, de outubro de 1989, estabeleceu que, cessada a investidura no cargo de governador, em decorrência de morte ou invalidez permanecendo titular, quem o tiver exercido, em caráter efetivo, fará jus a um subsídio mensal e vitalício correspondente ao vencimento e representação do cargo.
A partir daquele ano, a pensão vitalícia só seria concedida quando a família comprovasse que não possuía recursos financeiros suficientes para sua subsistência. Em 1996, o então governador Orleir Cameli pôs fim ao beneficio e em 1999, em projeto proposto pelo então deputado Wagner Sales, o beneficio foi restabelecido pelo ex-governador Jorge Viana.
DUAS PROPOSTAS
Antes do recesso o deputado Gehlen Diniz,do PP, apresentou projeto revogando integralmente o artigo 77 da Constituição do Acre, sob a justificativa que o STF já se posicionou favorável em outros estados. A proposta deve ser analisada por uma comissão especial e em seguida voltar ao plenário para votação.
Outro projeto, ainda na fase de esboço, é de autoria do deputado  Eber Machado, do PSDC, que defende o modelo aprovado pelo  Rio Grande do Sul: atual subsidio por apenas quatro anos e em caso de morte o valor não será repassado a um parente – esposa e filhos.
Muitos parlamentares do Acre já tentaram por fim a pensão a ex-governadores. A proposta já foi defendida por Márcio Bittar, João Correa, Donald Fernandes, Astério Moreira, Gilberto Diniz, além de agora Gehlen Diniz e Eber Machado.
TIÃO E VALORES
O governador Tião Viana já disse que a matéria não tem importância pessoal porque ao assumir o cargo fez “opção salarial como professor da UFAc e médico do Estado”, funções que já exercia antes de se eleger governante. Por conta do atual arrocho financeiro, em dezembro Tião negou aumento salarial para secretários e diretores de empresas, além aos ex-governadores e viúvas que compõem a folha do Estado
A ex-deputada federal Maria Lúcia Melo de Araújo, mãe da atual vice-governadora Nazaré Araújo, e esposa do saudoso José Augusto de Araújo (primeiro governador eleito do Acre), possui a matricula mais antiga (de 1981) dos 15 aposentados. Abaixo a relação:
tabela1-720x384
http://www.oaltoacre.com/acre-no-debate-do-fim-da-pensao-a-ex-governadores/?utm_source=dlvr.it&utm_medium=facebook

Justiça do Acre decide que aluno não pode ser indenizado porque professor “o mandou estudar”

O 2º Juizado Especial Cível da Comarca de Rio Branco julgou improcedente o pedido formulado por I. da S. P., deixando, assim, de condenar a Faculdade Meta (Fameta) ao pagamento de indenização por danos morais por suposta irregularidade cometida por um professor daquela Instituição de Ensino Superior (IES) na correção de uma prova realizada pelo reclamante (designação recebida pela parte autora junto aos Juizados Especiais).
A decisão, do juiz de Direito Marcos Thadeu, titular da unidade judiciária, publicada na edição nº 5.571 do Diário da Justiça Eletrônico (fl. 56), da última quinta-feira (28), considera que o reclamante não comprovou suas alegações, não havendo, assim, prova de qualquer ato ilícito praticado pela Fameta que justifique uma eventual condenação ao pagamento de indenização por danos morais.
Entenda o caso
O reclamante alegou à Justiça que é estudante da IES reclamada (designação recebida pela parte contra a qual a ação judicial ocorre) e que teria sido injustamente reprovado em uma das disciplinas do curso que realiza em decorrência do professor ter lhe atribuído erroneamente nota zero em uma avaliação “na qual só resolveu metade das questões propostas”.
Indignado com a nota que lhe fora atribuída, o reclamante procurou o docente para arrazoar, sendo que este “o mandou ir estudar”, motivo pelo qual buscou o departamento jurídico da Fameta em busca de uma solução consensual para o problema, sem ter obtido êxito, no entanto.
Julgando-se prejudicado em seus direitos, I. S. da P. buscou a tutela de seus direitos junto ao 2º JEC da Comarca de Rio Branco, onde ajuizou a reclamação cível nº 0012733-56.2015.8.01.0070 requerendo a condenação da Fameta ao pagamento de indenização por danos morais, bem como à “justa correção da prova” em questão.
Sentença
Ao analisar o conteúdo probatório reunido pelas partes durante a instrução processual, o juiz de Direito Marcos Thadeu entendeu não haver motivos para a condenação da Fameta ao pagamento de indenização por danos morais por não existir, nos autos, prova de “qualquer ato ilícito praticado” pela IES.
O magistrado também assinalou que tampouco restou comprovado que a prova do reclamante foi corrigida de forma equivocada. “Ao contrário, restou plenamente demonstrado que o autor não possui o domínio da matéria e, desta forma, de fato, não poderia ser aprovado ou sequer obter a nota que ‘almeja’”, anotou o magistrado.
Marcos Thadeu ressaltou ainda, em sua sentença, que a tanto a IES quanto o professor “possuem total autonomia na sala de aula e fora dela, cabendo ao professor orientar e inclusive, advertir seus alunos a respeito do empenho necessário para a aprovação nos exames”, sendo, assim, incabíveis os danos morais pleiteados pelo reclamante.
Por fim, o juiz de Direito titular do 2º JEC da Comarca da Capital julgou o pedido formulado por I. da S. P. improcedente, deixando, assim, de condenar a Fameta ao pagamento de indenização por danos morais.
O reclamante ainda pode recorrer da decisão.
http://www.ac24horas.com/2016/02/02/justica-do-acre-decide-que-aluno-nao-pode-ser-indenizado-porque-professor-o-mandou-estudar/

Sinteac diz que ano letivo não deve iniciar

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação entende que a proposta encaminhada pelo governo neste feriadão não deve evitar uma possível greve geral. A categoria está convocada para conhecer os percentuais de reajuste propostos pela equipe econômica do governador Sebastião Viana, em assembléia geral extraordinária confirmada para às 16 horas desta sexta-feira, no Hall da Assembléia Legislativa, Centro de  Rio Branco.Se a proposta for rejeitada, o ano letivo não será iniciado na segunda-feira (15), segundo previsões da SEE.
A Secretaria de Educação sugere um reajuste de 11.48% divididos em três parcelas iguais, sendo a primeira em janeiro de 2017, a segunda em agosto de 2017 e a última em março de 2018. Professores e funcionários de escola pediam um aumento real de 25%.
A professora Rosana Nascimento, presidente do Sinteac, adiantou que “a proposta é vergonhosa por não reconhecer a luta dos servidores administrativos, há sete anos sobrevivendo com um piso de R$ 672,00 – portanto, abaixo do salário mínimo. Os núcleos do Sinteac no interior farão assembléias paralelas, também na sextam, no mesmo horário. O sindicato orienta que se façam listas de presença e elaborem atas com as deliberações.
O comando de greve dará uma versão oficial sobre o assunto nesta quinta-feira, ás vésperas da assembléia dos trabalhadores. “Esperamos avançar nessas 24 horas. Seja qual for a postura do governo, levaremos para a avaliação dos trabalhadores. Se for deliberada a greve na Educação, que assim seja. os trabalhadores flexibilizaram o máximo que podiam”, afirmou Rosana Nascimento.

http://www.ac24horas.com/2016/02/10/sinteac-diz-que-ano-letivo-nao-deve-iniciar-na-2a/

Em Rio Branco Ac: Homem é quase assassinado a tiros por causa de R$ 2 reais

100216-policia-acidente-cleriston
Tentativa de homicídio foi no bairro Calafate
Antônio Marcos Goncalves da Silva, 22, foi vítima de tentativa de homicídio na noite desta terça-feira (9). O crime foi causado por uma confusão motivada por R$ 2 durante um jogo de sinuca em um bar no Bairro Calafate.
O acusado (que não foi identificado) teria pegado uma arma de fogo e desferiu um tiro contra a vítima que foi atingida nas costas. A vítima foi socorrida pelo Samu e conduzida ao Pronto Socorro de Rio Branco.
http://www.agazeta.net/policia/11650-homem-leva-tiro-por-causa-de-r-2-reais

Governos de MT, AC, RO e China se unem para construir Ferrovia


Um protocolo de intenções em prol da Ferrovia Transoceânica foi assinado em Ji-Paraná (RO), nesta segunda-feira (8), pelo governador de Mato Grosso, Pedro Taques, do Acre, Tião Viana, e de Rondônia, Confúcio Moura. A cerimônia de assinatura do protocolo de intenções contou com a presença do embaixador da China no Brasil, Li Jinzhang, e um grupo de 23 empresários chineses que fazem uma expedição pelas cidades que serão beneficiadas com a implantação da Ferrovia Transoceânica.
O protocolo é resultado de uma parceria estratégica firmada entre os dois países e os 35 acordos assinados pela presidente Dilma Rousseff e o primeiro-ministro da China, Li Keqiang, no último dia 19 de maio. Um deles prevê o estudo de viabilidade de implantação da Ferrovia Transoceânica, que, pelo projeto, sai do Rio de Janeiro, passa por Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Rondônia, Acre e termina no Peru.
A China quer aumentar os negócios na América Latina, e facilitar o acesso à produção brasileira, principalmente de soja, sem depender do Canal do Panamá, que tem forte influência dos Estados Unidos. Mas para se tornar realidade, o projeto tem que enfrentar desafios de engenharia, ambientais e políticos. 
Especialistas afirmam que os investimentos na ferrovia podem ficar próxima a R$ 30 bilhões. Os mais beneficiados seriam os produtores rurais do Oeste de Mato Grosso, que teriam um caminho mais curto para escoar a safra, principalmente de soja, reduzindo o transporte pelas rodovias. Em 2014, a China importou de Mato Grosso produtos no valor de US$ 4,9 bilhões, sendo que US$ 4,6 bilhões foram destinados à importação de soja, conforme dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic).
Governador de Mato Grosso, Pedro Taques, assinou protocolo de intenções nesta segunda-feira (8) em Rondônia. (Foto: Secom-MT)
Governador de Mato Grosso, Pedro Taques,
assinou protocolo de intenções nesta segunda (8)
(Foto: Secom-MT)
Para o governador de Mato Grosso, que esteve com o representante da República Popular da China em Brasília para discutir sobre a ferrovia em maio, esta é uma obra importante para o Estado. “Nos anima mais ainda o fato do governo federal tratar publicamente da ferrovia como um projeto estratégico para o Brasil. Mato Grosso ajuda muito o Brasil, agora, o Brasil também precisa ajudar Mato Grosso e os estados produtores", disse na ocasião.
De acordo com o governo do Estado, a previsão é de que a comitiva chegue em Mato Grosso às 8h da terça-feira (9), em Comodoro, localizado a 644 km a Oeste de Cuiabá, onde os representantes serão recebidos pelo governador e o vice-governador, Carlos Fávaro.
A programação prevê que a comitiva visite ainda Campo Novo do Parecis, a 397 km de Cuiabá, durante o almoço e siga para Lucas do Rio Verde, a 360 km de Cuiabá, onde na quarta-feira (10) a implantação da ferrovia será discutida em um evento, com a presença do governador e, possivelmente, do ministro dos Transportes, Antônio Carlos Rodrigues, representando o governo federal.
g1